Tribo amazônica do sul da Venezuela, mostra como as bactérias do corpo humano está mudando


Todo o corpo é cheio de bactérias, e estes micróbios fazem muitas coisas boas como construir o sistema imunológico e ajudar a digestão. Mas moderna dietas, antibióticos e higiene parecem estar reduzindo a variedade de micróbios que ocupam nossa anatomia.



Estudo publicado a olhar para o intestino, boca e pele micróbios em pessoas de uma pequena tribo isolada na selva amazônica do sul da Venezuela mostra o quanto a vida moderna pode ser alterando as bactérias do corpo da humanidade.

Os moradores yanomami, isoladas do mundo exterior até 2009, possuía a coleção mais diversificada de bactérias já encontrado nas pessoas, incluindo alguns nunca antes detectada em humanos, disse que os cientistas cujas pesquisa aparece na revista Science.

Os pesquisadores ficaram surpresos ao saber genes resistentes a antibióticos micróbios abrigavam dos Yanomami, incluindo as que conferem resistência a antibióticos sintéticos, considerando que eles nunca tiveram exposição a antibióticos comerciais.

Cada pessoa recebe trilhões de micróbios, chamados coletivamente de microbiota, que vivemos e em praticamente todas as partes do corpo. Eles contribuem para funções essenciais para a saúde humana, incluindo o desenvolvimento do sistema imunológico, processamento de alimentos e confrontando patógenos invasores.

"Nosso estudo sugere que a microbiota humana pré-moderno era composto de uma maior diversidade de bactérias e uma maior diversidade de funções bacterianas, quando comparado com as populações afetadas por práticas modernas, tais como alimentos processados ​​e antibióticos", disse o professor de Patologia e Imunologia Gautam Dantas da Universidade de Washington em St. Louis.

Um declínio diversidade microbiota pode estar ligada ao aumento nas últimas décadas das doenças imunológicas e metabólicas, tais como asma, alergias, diabetes e obesidade, disse Maria Dominguez-Bello, um professor de medicina na Langone Medical Center da Universidade de Nova Iorque.

Os pesquisadores analisaram amostras microbianas de 34 dos 54 moradores yanomami. Eles foram comparados a um grupo de Estados Unidos, outros venezuelanos povo amazônico indígenas, o Guahibo, e moradores de Malawi rural no sul da África.

Yanomami foram encontrados para ter o dobro do número de variedades de micróbio dos sujeitos dos Estados Unidos e de 30 a 40 por cento mais diversidade do que os malawianos e Guahibo. Algumas das bactérias encontradas na Yanomami, mas não nos outros oferecem efeitos benéficos, como a proteção contra pedras nos rins.

Os Yanomami são semi-nômades de caçadores-coletores em sua remota região montanhosa.

"É realmente uma oportunidade única de entrar em contato com as comunidades com este estilo de vida antigo", disse Oscar Noya, pesquisador do Centro Amazônico de Pesquisa e Controle de Doenças Tropicais em Venezuela que visitaram os moradores.

#CMisteriosBlog » Semana 16»»»Ciência
English »Article Amazonian tribe study shows how human bodily bacteria is changing»[Yahoo]
CMistériosBlog » Tribo amazônica do sul da Venezuela mostra como as bactérias do corpo humano está mudando