10 - Fatos estranhos e obscuros sobre a saúde mental


Quando funcionamento do cérebro humano é mau, muitas vezes tem resultados complexos que envolvem todo o corpo.

Neste relato fascinante, vamos cavar mais fundo e descobrir alguns dos fatos mais surpreendentes, menos conhecidas e estranhos sobre transtornos mentais obscuros.


10 - Fatos estranhos e obscuros sobre a saúde menta

Saúde e Medicina

10 - Fatos estranhos e obscuros sobre a saúde mental

A saúde mental é uma das questões mais intrigantes, fascinantes, e relativas na sociedade moderna.

10. A esquizofrenia está ligada à forma da sua boca


Costumamos colocar uma linha divisória entre a saúde mental e a saúde física. Os psiquiatras tendem a concentrar-se no comportamento, mas um olhar para a fisiologia pode também ser útil no diagnóstico.

Estudos recentes sugerem que a esquizofrenia pode estar correlacionada com um palato duro um pouco mais amplo, que fica no céu da boca. O que isso sugere é que os médicos poderiam encontrar maneiras de olhar para os traços físicos para diagnosticar a esquizofrenia.

Ainda mais importante, isso significa que a esquizofrenia é provavelmente parte de um distúrbio de desenvolvimento maior do que se pensava - com sintomas físicos e mentais. Os pesquisadores notaram que essas deformidades geralmente aparecem em conjunto com as mutações e defeitos genéticos que desencadeiam conjuntos específicos de sintomas.

A esquizofrenia é considerada uma doença extremamente complexa com características bioquímicas específicas e raízes em perturbações ácidas de neurotransmissores e aminoácidos. Essa complexidade levou a especulações de que a esquizofrenia pode ser realmente uma série de distúrbios que aparece como um único.

9. O autismo está fortemente ligado às convulsões

O autismo tem uma história de mal-entendidos. No passado, considerou-se em alturas diferentes um tipo de esquizofrenia e o resultado de pais negligentes. Enquanto o autismo é mais claramente compreendido na atualidade, ainda é uma doença complexa, com complicações surpreendentes.

Por uma questão de fato, o autismo pode estar fortemente ligado a sintomas mais graves do que se pensava. Para estas crianças, um ataque epiléptico pode de repente ocorrer em qualquer momento da vida.

Uma investigação seguiu as mesmas crianças durante mais de uma década e ajudou a dar alguma credibilidade à ideia de que há uma ligação definitiva entre os transtornos do espectro do autismo e as convulsões epilépticas.

8. Níveis chocantes de doença mental em populações mais jovens

Embora isso não seja verdade em todos os casos, a doença mental é frequentemente associada ao comportamento nitidamente "não natural". No entanto, as principais autoridades mostram que ser "normal" é menos comum do que pensa.

De acordo com os resultados publicados pela Organização Mundial da Saúde, até 20 por cento das crianças e adolescentes sofrem de uma doença mental de alguma forma. Os jovens entre as idades de 15 e 24 anos são mais propensos a experimentar a doença mental.

Doenças comumente relatadas incluem depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia. Também não é incomum o uso de drogas desencadear um transtorno mental latente ou, inversamente, os sintomas emergentes de um transtorno mental acionarem o uso de drogas.

7. Doenças mentais podem destruir o corpo

A doença mental não é apenas um problema da mente, também pode levar a doenças físicas graves. O mais preocupante são provavelmente as estatísticas que apontam para o aumento das taxas de doenças do coração em pacientes psiquiátricos.

Os sintomas de ansiedade, juntamente com distúrbios como a síndrome de Tourette, podem causar danos físicos do stress repetitivo. Muito disso pode ser rastreado até um desequilíbrio neuroquímico.

Hormônios tóxicos liberados pelo sistema endócrino sob estresse podem causar enormes quantidades de dano aos tecidos e órgãos do corpo. De acordo com vários estudos, indivíduos com doenças mentais, como transtorno bipolar, esquizofrenia ou depressão têm 2,6 vezes mais chances de desenvolver cancro.

6. Síndrome de Korsakoff

As doenças mentais muitas vezes surgem de lugares inesperados. De um ponto de vista médico, uma das doenças mentais mais interessantes é conhecida como síndrome de Korsakoff. Esta doença afeta a memória de uma maneira similar à doença de Alzheimer, e resulta de uma deficiência grave de tiamina, ou vitamina B1.

A doença é largamente considerada como uma complicação de beber em excesso, o que pode reduzir os níveis B1 e causar casos graves de má absorção de nutrientes. A angústia colocada sobre o cérebro pode causar confusão, lentidão de fala e esquecimento.

O aspecto mais bizarro desta doença, que está associada com maiores graus de danos cerebrais à medida que progride, envolve episódios de confabulação. As pessoas com Korsakoff compõem mentiras e histórias sem motivo aparente.

Mas eles não estão realmente a mentir, eles realmente acreditam nas histórias falsas que estão a dizer. A síndrome de Korsakoff é geralmente considerada um transtorno de longo prazo, apesar da deficiência aguda de tiamina poder levar ao coma ou morte se não for tratada rapidamente.

5. O stress encolhe o cérebro

Nós tendemos a pensar em doença mental como um mau funcionamento, por assim dizer, e a lesão cerebral como um problema separado e físico. Mas você não tem que tomar drogas ou experimentar trauma físico para sofrer danos cerebrais.

A lesão cerebral pode resultar de níveis excessivos de cortisol e outras substâncias químicas tóxicas produzidas pelo nosso organismo. Um grande número de espécies animais, incluindo os seres humanos, têm reservas de produtos químicos que proporcionam benefícios para a sobrevivência através do seu envolvimento na resposta de luta ou fuga.

No entanto, o stress a longo prazo, ou a presença de uma doença mental indutora de stress, pode causar a crónica libertação a longo prazo destes produtos químicos. O cortisol - o " hormônio do estresse", pode matar células cerebrais diretamente, prejudicar a função cerebral geral, e até mesmo encolher o cérebro.

4. Autismo e desenvolvimento físico

O autismo é geralmente visto como um transtorno mental autónomo que tem sido fonte de controvérsia entre os médicos. No entanto, a incidência de autismo também mostra uma correlação surpreendente a fatores físicos, como tamanho do nascimento e desenvolvimento cabeça.

Alguns estudos indicaram que as crianças com autismo tendem a nascer com a cabeça ligeiramente menor. No entanto, o crescimento físico e os índices de desenvolvimento do cérebro do crânio, em seguida, ultrapassam a norma até a cabeça e o cérebro serem anormalmente grandes.

Também descobriram que certos componentes cerebrais em crianças autistas podem ser maiores do que aqueles em grupos de controle. Mais tarde, o crescimento alcança a normalidade, de modo a que os adultos autistas tenham um rácio cérebro-corpo proporcional.

3. A depressão é surpreendentemente ambiental

A depressão é geralmente vista como uma forma de desequilíbrio interno da mente. No entanto, estudos sugerem que a depressão em seres humanos pode ser profundamente influenciada pelo nosso meio ambiente.

De acordo com um estudo de 2011 publicado na revista Nature, os moradores da cidade sofrem uma taxa de depressão 39% maior do que as taxas de depressão vividas por pessoas em áreas rurais.

De igual forma, pode estar associada a fatores dietéticos, como o baixo consumo de peixe, que também está correlacionado com a depressão. Além disso, moradores urbanos são 21% mais propensos a ter ansiedade, enquanto as taxas de esquizofrenia são quase o dobro nas cidades.

Os cientistas observaram que os moradores da cidade apresentaram aumento da atividade na parte do cíngulo do cérebro, o que afeta a capacidade do cérebro para regular o stress. Parece que a tensão contínua de ambientes urbanos leva a problemas de saúde mental em algumas pessoas.

2. Obsessões puras

O transtorno obsessivo-compulsivo afeta uma percentagem significativa da população. No entanto, é provável que seja mal compreendida, em muitos casos, dado que só os sinais visíveis são bem conhecidos.

Na verdade, o TOC está muitas vezes presente numa forma mais insidiosa conhecida como obsessões puras, onde os pensamentos violentos ou repugnantes inundam o cérebro e causam sofrimento significativo.

Uma pessoa com esta forma de TOC pode experimentar repetidos pensamentos que o chocam não ocorrendo nenhuma ação relacionada à obsessão para diminuir a ansiedade. Geralmente caracterizada por algo incrivelmente violento, como um pensamento aleatório para puxar uma faca e esfaquear seu colega de trabalho.

1. Danos nos nervos, saúde Mental e socialização

Como já mencionamos, as doenças mentais podem ser muito mais físicas do que se pensava. Os pesquisadores já determinaram que a produção reduzida de mielina, uma fibra de protecção do nervo, está associada a doenças neurológicas degenerativas, tais como a esclerose múltipla.

Em estudos recentes descobriu-se que a perda de mielina no revestimento das fibras nervosas está associada ao desenvolvimento de doenças mentais. A mielinização é um componente altamente físico e electromecânico do sistema nervoso.

É responsável por isolar as fibras nervosas e permitir a transmissão eficiente de sinais cerebrais. Enquanto os estudos de saúde mental muitas vezes colocam atenção sobre os próprios neurotransmissores, parece que a condição da "fiação" também é muito importante.

Ainda mais estranho é o fato de que os danos de mielina poderem ser causados por fatores ambientais e sociais. Estudos feitos em ratos indicam que a produção de mielina pode tornar-se prejudicada como resultado de isolamento social.

Referência de informação site: ListVerse , Artigo: 10 Strange And Obscure Facts About Mental Health

Página no G+:
Comunidade no G+:
#fatoscuriosos #saudeemedicina